Educação na Primeira Infância

Nos últimos tempos, um dos assuntos que mais tem me chamado atenção é a educação!
Sabemos que ela é a chave para o Brasil crescer cada vez mais. Só com a educação é que conseguiremos mudar muita coisa no país, desde assuntos cotidianos até as questões mais burocráticas, que envolvem um conhecimento mais técnico e especializado.

É a partir da educação que também conseguiremos afastar o famoso “jeitinho brasileiro”, ou seja, aquela mania de sempre achar que dá pra resolver as coisas com gambiarra ou forçando um pouquinho.
Mas não pretendo falar aqui sobre a educação acadêmica de fato, mas sim da educação inicial, aquela que é construída desde a primeira infância, quando a criança tem de 0 até 5 anos.
Nesse período, não basta a criança frequentar uma creche ou uma escolinha, é necessário também ter um acompanhamento da educação familiar, verificando se ela tem, por exemplo, acesso a alimentação de qualidade, ao tratamento médico adequado e como é o relacionamento com os pais. Ou seja, é muito importante saber como é o ambiente familiar da criança, além de envolver os pais ou responsáveis na educação formal, trazendo o professor para mais perto da família.

Estudos revelando a importância da educação na primeira infância já foram feitos, a partir dos projetos Perry, Abecedarian e os Centros de Pais e Filhos (todos nos EUA) e o Projeto de Saúde Infantil das Ilhas Maurício.
Todos esses programas de acompanhamento das crianças mostraram que, no futuro, o investimento inicial valeu a pena, pois os índices de envolvimento com drogas e de problemas com a polícia diminuíram consideravelmente entre os jovens que foram assistidos pelos projetos desde o início, numa comparação com jovens que não participaram dos projetos.

Então, se queremos resolver problemas como a criminalidade, o consumo de drogas e a violência, é preciso atacar o mal pela raiz. Não basta apenas criar projetos de inclusão nas universidades, é necessário que o cuidado e atenção sejam dados à criança desde os primeiros anos de vida.
Uma criança que foi privada de uma boa educação básica, de uma boa alimentação e não teve acompanhamento adequado na primeira infância, terá seu desenvolvimento cognitivo prejudicado e, portanto, serão maiores as dificuldades no futuro aprendizado.

Ao não garantir uma educação básica de qualidade estamos praticamente condenando o futuro de nossas crianças!
E a solução encontrada por nossos governantes hoje é compensar isso com projetos de inclusão nas universidades.
Seria mais digno para a criança, mais barato para o governo e muito melhor para o país se nossa educação de primeira infância fosse de qualidade! Já imaginou quantos gênios deixamos de gerar em nosso país, pelo simples fato de estarmos investindo mais dinheiro na fase educacional errada?
Apenas com educação de qualidade, aliada a bons projetos de acompanhamento de saúde, físico, psicológico e nutricional, é que poderemos reverter o quadro em que o Brasil está!
Plantando a semente da educação de qualidade desde o início, logo nos primeiros anos de nossas crianças, com certeza colheremos os frutos, ou seja, jovens com capacidade para garantir um maior desenvolvimento tecnológico, político e econômico.
Com muito empenho, trabalho e cuidando de nossas crianças, podemos vencer!
Eu acredito no Brasil!

#VamosJuntos #EuAcredito #Educação #AmáliaTortato #PrimeiraInfância