Meio Ambiente – Incinerador

Vamos falar sobre incineradores de lixo.

A prática de queimar lixo é antiga, e por ter sido feita sem nenhum controle ambiental durante muitos anos, temos hoje uma péssima impressão quando falamos em incinerar o lixo como uma forma de tratamento ambientalmente adequado.

Os incineradores atuais tem o processo de queima controlado, e um rigoroso sistema de tratamento dos gases que serão emitidos na atmosfera. Os incineradores passaram de vilões ambientais para uma excelente alternativa ambientalmente adequada no tratamento de resíduos sólidos, com baixíssima emissão de poluentes, e ainda gerando energia elétrica ao final do processo.

Esse método já é utilizado em muitos países ao redor do mundo, e aliado a reciclagem dos materiais, esse tratamento reduz em média 85% do volume inicial de lixo que iria parar nos aterros sanitários. Na Suécia essa redução chega a 99%, pois grande parte das cinzas resultantes depois da queima são utilizadas na construção de estradas.

O tratamento dos gases da queima pode ser feito de muitas maneiras, a maioria dos países utiliza filtros de diversos tipos. Mas aqui no Brasil, laboratórios de pesquisa tem utilizado microalgas nessa purificação. Essa é uma tecnologia moderna, e muito eficiente.

Além de reduzir muito o volume final do lixo que se destinaria a aterros, esta solução tem como subproduto a geração de energia elétrica, através da utilização do calor gerado na queima. E você cidadão pode se beneficiar disso, pois ao invés de pagar pela utilização de aterros sanitários, os municípios poderiam gerar energia elétrica a partir do lixo e conceder descontos na fatura de luz da população.

Estudos indicam que a viabilidade econômica de uma planta de incineradores para tratamento de resíduos sólidos deve ter uma capacidade mínima de processamento de 250t/dia. O Paraná produz 20.000t/dia de resíduos de todas as origens. Esses resíduos quando dispostos em lixões, ou sem o devido controle, geram problemas ambientais irreversíveis. Os gases liberados pela decomposição do lixo são 20 vezes mais poluentes que os gases emitidos pelos automóveis. Isso sem contar a contaminação do solo e do lençol freático.

Deixar de usar todo o potencial energético contido no lixo é o mesmo que desperdiçar dinheiro e ainda fazer mal para o meio ambiente.
Precisamos de novos olhares para os problemas do nosso Estado. Por isso quero te convidar a se inscrever no canal, conhecer a minha página e acompanhar as novidades.